A obstrução nasal pode se desenvolver a partir de um processo viral, ou simplesmente por um resfriado.
O início de uma Obstrução nasal crônica pode ocorrer por diversas causas, sendo elas alterações anatômicas ou funcionais.

Esse quadro pode se estabelecer em diversas idades, mas em crianças a Obstrução Nasal por Hipertrofia Adenoideana é frequente. Ela pode estar associada também a alterações congênitas, como a Imperfuração Coanal ou a Meningoceles. Diferentemente das crianças, os adultos desenvolvem o quadro devido à desvios de septo nasal e Hipertrofia de cornetos nasais, vinculados às sinusites crônicas.

Tumores nasais não são tão frequentes quanto as causas benignas de Obstrução nasal. Só se deve excluir sua possibilidade após a consulta com um médico otorrinolaringologista.

O que protege a parte interna do nariz com os Cornetos, Septo Nasal, Adenoide e Seios da Face, é a mucosa. Por se tratar de um tecido do organismo, está suscetível a tumores. Esses tumores ocorrem por uma falha na divisão das células e causam em um aumento exagerado do tecido.

A obstrução nasal pode dar início ou agravar os quadros de ronco e apneia do sono. Em crianças é capaz de causar deformações na face, devido à respiração contínua pela boca. Existem tratamentos eficientes com medicação anti-inflamatória, antialérgica e antibiótica. Para isso, busque um médico especialista na área.

As cirurgias nasais passaram por um processo de evolução frequente. Hoje há a cirurgia Vídeo-endoscópica, vinculada a lasers, a Radiofrequência, o Microdebridador, as colas biológicas e os hemostáticos. Essas técnicas visam ser minimamente invasivas para o paciente e possuem múltiplos benefícios como, redução de sangramentos, ausência de cicatrizes externas, pós-operatório tranquilo, preservação da estrutura nasal, exclusão de alterações estéticas e dores em grau inferior.

Para que não haja complicações, o quadro de Obstrução nasal deve receber a devida importância. O tratamento adequado irá evitar complicações para o paciente. Há a possibilidade de viver sem as temíveis dores de cabeça, os roncos, espirros, rinorreia, mau hálito, respiração bucal e infecções de garganta.